Leitores, na série “QUERO SABER MAIS” vamos falar sobre as Placas Senis (ou Placas Neuríticas) e sobre  os Emaranhamentos Neurofibrilares. Fiquem atentos às postagens !

placas

Sabe-se que o depósitos extracelulares anormais de proteínas insolúveis  decorrentes de divisão anormal da proteína chamada de Proteína Precursora de Amilóide (PPA) resulta nessas placas. A quebra patológica da PPA forma monômeros da proteína ß-amilóide que se reúnem. Aos poucos se dispersam até terminarem na forma de placas senis (PS) maduras ou senis consideradas patológicas. Vários tipos de depósitos discretos de ß-amilóide que formam a PS têm sido identificados nos cérebros de indivíduos com doença de Alzheimer (DA). Na Doença de Alzheimer, as PS são constituídas por um núcleo central que contém a proteína ß-amilóide e outras substâncias.

 

PLACA  SENIL CORADA POR VERMELHO DO CONGO

PLACA SENIL CORADA POR VERMELHO DO CONGO

Existem 3 mutações genéticas na PPA. (CAUSAS RELACIONADAS AO ALZHEIMER GENÉTICO !)

-PRIMEIRA: no cromossomo-21 ocorre dupla mutação, sendo uma delas mais próxima da enzima alfa-secretase (quanto mais próxima dessa enzima mais deletéria fica a proteína) com expressão clínica antes dos 65 anos.

-SEGUNDA: ocorre com a proteína presenilina-1, que tem expressão clínica entre 40 e 70 anos e o número de casos familiares afetados chega a 20% e 2 a 3 % de todos os casos.

-TERCEIRA: ocorre com a presenilina-2,que tem expressão clínica entre 30 e 60 anos, com percentual de casos na família de 70 a 80%, e o número de casos totais de 5 a 10%. Cada filho tem uma probabilidade de 50% de herdar o gene anormal e desenvolver a DA .

Essas alterações estão relacionadas de algum modo na produção de placas amilóide. As 3 mutações genéticas representam menos de 10% de todos os casos de DA, o que indica que as causas genéticas não são as mais significativas, em questão numérica.

Com a continuação dos estudos sobre as PS, os pesquisadores resolveram classificá-las em quatro tipos morfológicos: difusa, primitiva, clássica e compacta. Os estudos continuaram e foram elaboradas duas hipóteses para estudar as PS. Primeira, que as placas difusa, primitiva, clássica e compacta desenvolvem-se em seqüência e representam estágios na história de vida de cada uma das placas. Segunda, que as placas diferem e são independentes entre si, portanto, fatores próprios e diferenciados estão envolvidos na formação de cada tipo de placa.

Para diferenciar essas hipóteses, foram estudados analiticamente no cérebro os quatro tipos de placas quanto à morfologia, ultraestrutura, composição e distribuição espacial.

Por mais que algumas placas primitivas consigam se desenvolver a partir de placas difusas, as evidências sugerem que a combinação de fatores próprios

está envolvida na patogênese de cada tipo de placa e, dessa maneira, suporta a hipótese de que tipos maiores de placas desenvolvem-se independente.

Novos estudos no campo estão sendo realizados para que consigamos chegar a algumas certezas . Até lá, a DA segue cercada por algumas incógnitas que, com esperança, serão sanadas.

placas 2

Até a próxima (:

Brendo Henrique

Fonte:

http://www.alzheimermed.com.br/tratamento/novas-drogas-perspectivas-parte-1

http://www.institutopaulobrito.com.br/pdf/A%20doen%C3%A7a%20de%20Alzheimer%20-%20causas.pdf

http://www.slideshare.net/TBQ-RLORC/beta-amilide

http://www.medicinageriatrica.com.br/tag/placas-senis/

http://anatpat.unicamp.br/bineualzheimer.html

http://veja.abril.com.br/blog/genetica/arquivo/mal-de-alzheimer-genetico-ou-adquirido/

QUERO SABER MAIS : Placas Senis!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s